Do psicanalista Éric Laurent, em tempos tão insuportáveis: “O resultado que deve alcançar uma psicanálise não é precisamente adaptar-se ao mundo, mas saber que quando algo é insuportável, é necessário poder querer, verdadeiramente, dizer não. Se trata de restaurar, nesse ponto mesmo, o desejo que faz viver. O próprio da psicanálise é a operação sobre o incurável.”

Ou qualquer vida merece ser enlutada ou nenhuma merecerá. Aqui, uma reflexão sobre o luto.

Na próxima quinta, dia 26, na Livraria da Travessa do Leblon: Protagonismo feminino e Simone de Beauvoir. O filme da Lucia Murat é muito bonito, e as reflexões de Simone de Beauvoir sobre a velhice e a morte absolutamente lúcidas e pertinentes para enfrentar os clichês da “melhor idade”.

Estamos diante de um paradoxo aparentemente incontornável: os movimentos feministas foram muito bem sucedidos nos seus objetivos de promover emancipação para as mulheres nos último 60 anos e o machismo não acabou. Leia mais aqui.

por Carla Rodrigues